Temos uma linha de produtos específicos e adequados para obras que exijam alto padrão de conservação, tais como gravuras assinadas, fotos em fine art, relíquias de família, etc. A maioria desses produtos é livre de acidez, que é uma das maiores inimigas da conservação, uma vez que acarreta na oxidação de metais da composição dos papéis, resultando em manchas e amarelamento do papel. Outros materiais de conservação impedem a entrada de umidade na peça a ser emoldurada, e diminuem consideravelmente a incidência de fungos e ainda a própria oxidação que tem a água como uns dos gatilhos de reação.

Se engana quem acredita que todos esses produtos são inacessíveis e só são utilizados para conservação de obras de museu ou de colecionador. Alguns deles são ainda caros para o público geral, mas há alguns que já fazem bastante diferença na conservação, e custam pouco a mais que produtos comuns.

Conheça agora todos os recursos de montagem que a Casa da Moldura tem a oferecer na linha de conservação:

Fundo de Foamboard – É uma placa de espuma sintética, laminada com papel alcalino dos dois lados. Possui alta rigidez e leveza, e tem superfície extremamente lisa. Comparado ao Duratex ou Eucatex (alternativa largamente utilizada para fundo de quadros) é infinitamente menos poroso e não possui a acidez que Duratex (Eucatex)tem. Com isso evita manchas de umidade, proliferação de fungos, e amarelamento do papel. É o produto de conservação mais acessível financeiramente.

Paspatur de papel – O paspatur de papel cartão tem a função técnica de não permitir o contato físico do vidro com a peça emoldurada, sua espessura normalmente é de 1,5mm. Esse afastamento permite uma camada protetora de ar, um respiro, que numa conservação a longo prazo é fundamental. Outra função importante do afastamento é a proteção de fotos (principalemente as de acabamento brilhoso), trabalhos em giz, pastel ou grafite, para que não “grudem” no vidro, o que danifica permanentemente a obra ou foto. O papel cartão pode ser de material puro (com PH neutro) ou reciclado (com alguma acidez). E estão disponíveis em diversas cores, texturas e estampas. Leia mais sobre paspatur aqui.

Tyvek – É um não tecido fabricado com filamento contínuos de polietileno de alta densidade. Sua estrutura interna de fibras ordenadas randomicamente, possui alta durabilidade, resistência intempéries e agentes químicos. É livre de ácidos, não permite entrada de umidade. Não conduz fogo. Podemos utilizar o tyvek para fazer a vedação completa do fundo do quadro (cobrindo todo o fundo) ou utilizar a fita de Tyvek (vide item fitas)

Cantoneiras e Strips de Polipropileno ou Mylar – feitos de material livre de ácido, são utilizados para fixar fotos ou gravuras sem que haja nenhum tipo de contato da obra com o adesivo. A obra fica totalmente livre para posterior remoção.

Colas PVA ou Spray – São utilizadas em obras que tenham facilidade de ondulação que exija a colagem das mesmas no fundo do quadro. A colagem é feita em máquinas de colagem a vácuo, as colas tem ótimo poder de adesão e são livres de acidez.

Fitas – As fitas são utilizadas em diversos momentos da montagem dos quadros.

O primeiro tipo de fita é utilizado na hora de fixar a obra no paspatur de papel, é muito importante que ela seja de material neutro para futuramente não manchar a obra. Para ilustrar as marcas que ficariam caso o material não fosse neutro, pense em papeis antigos fixados com Duratex, conseguimos ter a marca exata de onde estava o durex, não é? Por isso é tão importante que o material das fitas seja neutro.

O segundo tipo de fita é utilizado para fazer a vedação do fundo do quadro (mais eficaz com o uso do fundo de foamboard ou tyvek), são feitas de tyvek, material já detalhado anteriormente.

O terceiro tipo é a fita de isolamento da moldura, ela impede o contato da cava da moldura com a obra emoldurada. Já que a madeira (material mais comum para a moldura) pode com a acidez danificar a obra, quando não usamos nenhum outro recurso isolante, como o paspatur.

Vidro com proteção UV – Os vidros comuns permitem a passagem de luz, seja natural ou artificial que com o tempo “queimam” a pigmentação da obra, para preservar as cores originais da obra, usamos os vidros com filtro UV.

Por: Aline França | arquiteta da Casa da Moldura

Paspartu (passe-partout) – é o que fica entre o que vai ser emoldurado e a moldura, pode ser de madeira ou papel cartão. Tem a função estética de fazer a transição da peça emoldurada para a moldura, torna a montagem mais leve, de mais fácil apreensão, e muito mais composta.
O paspartu de papel cartão alto-relevo tem também a função técnica de não permitir o contato físico do vidro com a peça emoldurada, sua espessura normalmente é de 1,5mm. Esse afastamento permite uma camada protetora de ar, um respiro, que numa conservação a longo prazo é fundamental. Outra função importante do afastamento é a proteção de fotos, trabalhos em giz, pastel ou grafite, para que não “grudem” no vidro.

O cliente pode escolher a largura do paspartu já que estes são retirados de folhas inteiras de papel que medem em geral 80cmX100cm ou 100cmX150cm. O papel cartão pode ser de material puro (com PH neutro) ou reciclado (com alguma acidez). E estão disponíveis em diversas cores, texturas e estampas.

Por: Aline França | Arquiteta da Casa da Moldura

De uma forma geral, não existe uma regra que se aplique a qualquer situação. O posicionamento dos quadros na parede leva em consideração os demais elementos que compõe aquele ambiente, tanto na altura quanto no alinhamento com móveis e objetos.

Uma dica legal é recortar papeis pardos ou jornais do tamanho dos quadros e testar alturas e composições. Isso ajuda muito! Porque aquela regrinha de deixar o centro do quadro na altura do olhar pode ser uma grande furada, principalmente se o quadro for vertical, ou muito pequeno.

post_01_img1

Então o bom senso vai prevalecer. Imagine posicionar um quadro sobre um sofá ou cama, é muito importante que uma pessoa sentada não corra o risco de esbarrar a cabeça sem querer na peça pendurada.

post_01_img2

Mas atenção! Antes de furar a parede siga essa preciosa dica: nunca se esqueça de medir e descontar da altura do penduradores dos quadros seja eles de arame ou triângulo. Caso contrário todo seu esforço vai por água a baixo. Por exemplo, se você definiu como altura ideal do seu quadro 190 cm e a medida entre o topo da moldura e o arame esticado for de 5cm, você deve furar a parede a 185cm.

post_01_img3

Pense também na possibilidade de ter quadros pendurados em locais inusitados como abaixo de uma janela, uma pessoa sentada em um sofá ou à mesa consegue admirá-lo.

post_01_img4

Os quadros também podem ficar apoiados sobre prateleiras, cabeceiras ou aparadores, essa é uma tendência na decoração. Aqui vale outra dica preciosa: Ao apoiar quadros, cuide para que a parte superior fique completamente apoiada, do contrário, em pouquíssimo tempo as molduras empenar pelo esforço desequilibrado.

post_01_img5
Por: Aline França | arquiteta da Casa da Moldura

Acredito ser mais interessante alinhar os centros dos quadros, e não alinhar por cima ou por baixo, já que alinhando os centros dos quadros você cria uma linha visual imaginária, e disfarça as diferenças de dimensões. A mesma dica vale para quadros em paredes diferentes, porém no mesmo ambiente, a linha imaginária que se forma proporciona conforto visual ao observador. Claro que essa é uma opinião, e não uma regra. E em diversos momentos, de acordo com a análise do ambiente e dos quadros o resultado final pode ser mais interessante com o alinhamento por baixo ou por cima.

post_02_img1

Na hora de instalar os quadros, se preferir alinhá-los pelos centros, faça o seguinte cálculo: a altura de cada prego será = A altura definida como centro dos quadros (do chão ao meio dos quadros) + A (a medida entre o centro do quadro até a altura do pendurador do mesmo).

post_02_img2

Por: Aline França | Arquiteta da Casa da Moldura.

A Casa da Moldura conta com os serviços da arquiteta Aline Franca, que fica a disposição dos clientes para auxiliá-los na escolhas das molduras corretas para cada quadro e ambiente.

A consultoria dada na loja é gratuita. O cliente só precisa levar fotos do ambiente, bem como as medidas das paredes e móveis, quanto mais informação, melhor o serviço será prestado.

Caso o cliente deseje uma visita técnica* para melhor orientação quanto aos quadros, molduras, e instalação dos mesmos, basta entrar em contato com Casa da Moldura e agendar o horário. (consulte valores e condições)

As consultorias mais comuns são:

– Orientação sobre quadros após reforma do ambiente.
– Disposição de coleções de quadros, pratos decorativos, espelhos e etc.
– Seleção de gravuras, pinturas e espelhos para cada ambiente.
– Escolha de moldura para espelhos decorativos.
– Orientação quanto a altura e alinhamento dos quadros.

*Consulte valores e condições em nossas lojas.

Dúvida de Cliente:

Tenho um sofá desalinhado com a parede, o quadro a cima dele deve ser alinhado com o que?

Respondida por: Arquiteta Aline França

A prioridade de alinhamento é sempre com o que está imediatamente abaixo do quadro, ou seja: o quadro deve ser centralizado com o sofá e não com a parede. O mesmo vale para aparadores, camas e etc.

Quando houver um conjunto de quadros, também é bom ter o centro do conjunto de quadros como eixo de alinhamento com o móvel abaixo dele.

Porém nada impede que uma composição ousada, fique interessante. Pode-se, por exemplo, fazer uma composição agradável alinhando o final do quadro (ou do conjunto de quadros) a somente um dos extremos do móvel abaixo deles. O bom senso e sensação de equilíbrio devem prevalecer. Na duvida, conte com a nossa assessoria!
Continuem enviando mais perguntas, será um prazer ajudar, afinal, nós entendemos o prazer que um ambiente bem harmonizado nos proporciona.

Essa é uma dica de ouro!

Recebemos muitos clientes na nossa loja que querem fazer uma composição bacana de quadros, mas tem medo de errar, e também preguiça de instalar! Então essa dica vai ser boa pra quem está neste dilema.

Você vai precisar de um papel pardo ou qq outro papel que tenha a medida do espaço que você tem na parede para colocar os quadros. (podem ser vários jornais emendados)

– Coloque o papel na frente da parede e vá dispondo os quadros da maneira que julgar mais interessante.

– Desenhe o lugar de cada quadro no papel.

– Verifique o tipo de pendurador de cada quadro, e desconte a medida do afastamento do topo da moldura até o pendurador ao marcar onde será o furo do prego ou parafuso.

– Agora é só FIXAR o papel na parede com fita crepe (que não marca a pintura) e bater os pregos nos pontos marcados! Descarte o papel e coloque os quadros nos respectivos lugares.

Prontinho! Cada quadro vai pro seu lugar sem você ter quebrado a cabeça fazendo contas e medidas!

Gostou? Depois conte pra gente se deu certo: aline.arq@casadamoldura.com.br!

 

Por: Aline França | arquiteta da Casa da Moldura

Casa da Moldura - © 1989 / 2017 - Todos os direitos reservados

QR-Code